close

Um autêntico desesperado

POR VALDEMIR CALDAS

12 de Novembro de 2019 às 15:48

Como costuma acontecer em circunstâncias dessa natureza, sempre que as fontes que ainda restam e vivem em permanente estado de alerta contra as manobras e as fraudes que infectam setores da administração pública, aqui e alhures, o autor da falcatrua geralmente sai-se com a desculpa esfarrapada de que está sendo alvo de perseguição por parte de adversários e, o que é pior, ainda investe contra a honra e dignidade daqueles que o acusam, quando, na verdade, deveria empenhar-se em provar sua inocência.

 

Depois de passar quase 20 meses preso na sede da Policia Federal, em Curitiba, o ex-presidente Lula deixou a prisão na semana passada jurando inocência. E aproveitou a ocasião para atacar instituições sérias como o Ministério Público Federal e a Polícia Federal. O comportamento brejeiro de Lula não tem nada de novo. A não ser que se considere o desespero uma prova necessária de que, por mais alto o cargo ocupado por uma pessoa, ela não pode arvorar-se a divindade, nem ter a intimidade que quase todas aparentam com os deuses.

 

Nesse sentido, a demência do ex-presidente ante ao cipoal de denúncias contundentes apresentadas pelas instituições que ele teima, em vão, desmoralizá-las, presta-se à constatação de uma trivialidade. Quando se observa conduta como essa de um cidadão que já passou pelo mais alto cargo da República, vestindo o manto esfarrapado de defensor das classes menos favorecidas, não resta dúvida de que as únicas coisas que ele realmente merece são o desprezo e a condenação popular, apesar de uns poucos insistirem em tratá-lo como exemplo de probidade.

 

Lula está redondamente enganado quando pensa que o caminho certo e infalível para garantir a sua eternização no cenário politico é atacando instituições respeitadas como o Ministério Público Federal e a Policia Federal, dentre outros órgãos de Estado.  No momento em que o Brasil vem sendo devastado por quadrilhas as mais diversas, a população precisa ficar atenta, para que o espirito social e a consciência moral da Nação não sejam submergidos nessa pocilga. A atitude do ex-presidente é característica de um autentico desesperado.

 

MAIS COLUNAS

Valdemir Caldas

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS