close
logorovivo2

Ameron completa 35 anos e seus membros têm o que comemorar, pela qualidade da nossa justiça

POR SÉRGIO PIRES

19 de Junho de 2018 às 09:46

Ameron completa 35 anos e seus membros têm o que comemorar, pela qualidade da nossa justiça

FOTO: (DIVULGACÃO)

Assim como os políticos e representantes de vários setores da sociedade, o Judiciário também está sob os olhares atentos do brasileiro. Há alguns momentos em que, a partir do que se lê nas redes sociais, magistrados de todos os naipes, destacando-se aí, infelizmente, ministros da Suprema Corte,que são atacados de forma agressiva, vil e ofensiva, como se fossem apenas árbitros de futebol, daqueles que deixaram de apitar um pênalti claro contra o time de quem ofende.  Não se pode negar que no caso do STF, ao abrirem-se exageradamente para o público, os ministros se expuseram muito mais, ensejando essa situação esdrúxula em que, semianalfabetos, idiotas de quatro costados, em qualquer quadrante do Brasil, se sintam no direito de ofender um representante da nossa mais alta magistratura. Esses boçais eventualmente são responsabilizados, mas no geral não só ficam impunes, como ainda são aplaudidos por gente como eles. Mas a verdade é que nas mãos de juízes competentes – que formam a imensa maioria no quadro do Judiciário – é onde temos ainda nossa maior referência, nossa esperança final, onde ainda sonhamos que, através dela e da prática da verdadeira Justiça, ainda possamos ser o país decente que todos sonhamos. Base sólida de qualquer regime democrático, é nela também que se sustentam os pilares fortalecidos, para que não nos tornemos novamente uma republiqueta de bananas, como já o fomos ou, ainda pior, cheguemos a destroçar nossa gente, como está fazendo, por exemplo, o governo venezuelano e sua Justiça corrupta, contra seu próprio povo.

 

 

Por que o tema? A resposta, se resume, é também uma forma de comemorar os 35 anos da Ameron, a Associação dos Magistrados de Rondônia, uma instituição respeitada, séria e que reúne, em seu quadro, alguns dos nomes que mais tem se destacado no contexto da Justiça da região norte e de todo o país. Os exemplos de Rondônia para o Brasil, aliás, não só em termos de probidade e de produção, com números expressivos de julgamentos, sempre acima dos níveis nacionais, somam-se a iniciativas pioneiras, como a da Justiça Rápida, criada aqui e que hoje se espalha país afora. Temos juízes polêmicos e decisões também contestáveis? Claro que temos, como em todo o sistema. Mas nossos magistrados, em todas as instâncias, no geral tem honrado a toga e dado exemplos que mereceriam ser destacados em todos os recantos brasileiros. Hoje presidida pelo desembargador Alexandre Miguel, um exemplo pessoal e profissional de conduta e de competência, a Ameron é uma síntese da qualidade da nossa Justiça. Nesse quesito, aliás, Rondônia também tem tido muita sorte! 

  

 

NÃO VISITOU O TÚMULO DA MÃE

 

Pode esperar mais segurança e mais garantia de que os crimes terríveis não se repetirão, num país onde responsáveis por assassinatos hediondos  têm oportunidade de, após alguns anos de cadeia, voltar a viver em sociedade? Em democracias plenas, onde separa-se bandidos de pessoas de bem, criminosos cruéis recebem penas altíssimas, as cumprem totalmente, quando não morrem atrás grades. Não é vingança. É a verdadeira Justiça, penalizando a quem tirou uma vida ou mais de uma delas, com todo o peso da lei. Não no Brasil. Aqui, matadores tenebrosos vivem sob as asas de uma legislação pífia, perto do ridículo, incentivadora da violência e mãe e pai da impunidade. Por falar em mãe e pai, a assassina Suzane Von Richothofen, que planejou, organizou e participou de um dos mais terríveis crimes já registrados no Brasil, o brutal assassinato dos próprios pais, está prestes a deixar a prisão, depois de apenas 15 anos de pena e com saídas cinco vezes por ano, nos últimos cinco anos.  Ela teve o benefício inclusive para festejar o Dia das Mães. Não foi, é claro, nenhuma vez visitar o túmulo da mãe que matou. Em breve, se funcionar todo o esquema nacional de proteção aos bandidos, ela estará livre.

 

 

CONFÚCIO ELOGIA ADVERSÁRIO

 

 

“Gosto muito do pastor e professor Aluízio Vidal. Eu estive com ele, ontem, para desejar boa sorte à sua pré-candidatura ao Senado. Uma belíssima pessoa, um intelectual de altíssimo nível. É um concorrente, mas eu desejo a ele boa sorte!”. O texto (junto com uma foto de ambos conversando) foi publicado nas redes sociais, na semana passada, pelo ex governador Confúcio Moura. Tem um tom de sinceridade, é claro, mas também de esperteza. Aluízio é um nome quentíssimo entre o eleitorado de Porto Velho. Se tivesse  dinheiro e estrutura, certamente correria de igual para igual com os pesos pesados que estão na corrida, como o próprio Confúcio, além de Valdir Raupp e Jesualdo Pires, o trio de pré candidatos, ao menos por enquanto, com maior chance de chegar às duas vagas a que Rondônia tem direito. Ao elogiar Vidal, ao destacar suas virtudes e desejar a ele toda a sorte, Confúcio agrada o eleitorado porto velhense que vê no professor e pastor um nome muito forte para o Senado. Aqueles eleitores que não votam em quem não tem chance de ganhar, o chamado voto útil, na hora da escolha, vão lembrar de que Confúcio foi quem se mostrou mais próximo de Vidal, na pré eleição. Claro que a intenção não foi essa, mas o resultado pode ser sim, pelo que se conhece do eleitor....

 

 

OS PRÉ CANDIDATOS PRA LÁ E PRA CÁ

 

Quem andou pela mídia, no feriado de segunda e continua nessa terça, é o senador a pré candidato ao Governo Ivo Cassol. Ele também visitou o Hospital do Câncer e ainda participou da entrega de quase 1.700 imóveis de um novo conjunto habitacional em Porto Velho, entre inúmeras outras atividades.  Ele tem repetido o discurso que espera ter o aval da Justiça para se candidatar em outubro e, ao menos por enquanto, não fala em outra possibilidade. Outros pré candidatos ao Governo também se mobilizaram neste final de semana e durante o feriadão dos evangélicos. Tanto Maurão de Carvalho (MDB) quanto Acir Gurgacz (PDT), também visitaram várias cidades e participaram de eventos importantes, como os ocorridos na Capital. O governador Daniel Pereira também participou de inúmeros eventos. Embora não fale em pré candidatura, todos os dias ele tem sido pressionado por amigos, parceiros, assessores e correligionários para tentar a reeleição. Oficialmente, contudo, ele não tem comentado o assunto. Os quatro principais nomes que podem estar na disputa ao Governo vão estar juntos novamente, em breve. Juntos, aliás, com uns 50 pré candidatos a todos os cargos eletivos na disputa que se avizinha. Será no dia 2 de julho, na inauguração oficial do sistema viário e de viadutos da BR 364 com a Campos Sales, em Porto Velho.

 

 

UMA RELAÇÃO PASSIONAL

 

Passional, como sempre, o brasileiro que já andava endeusando Tite e sua Seleção, mudou da água para o vinho, no dia seguinte à estreia na Copa.  Na mídia especializada, então, é impressionante como, em apenas 90 minutos, opiniões efusivas, que estavam prestes a começar a comemoração do hexa campeonato, mudaram radicalmente, transformando Tite num técnico modesto e craques que eram maravilhas, como Neymar, quase em pernas de pau. Embora o amor pelo futebol tenha diminuído um pouco no Brasil, em tempos de Copa do Mundo não tem jeito: a maioria entra em relação de extremo amor e ódio com os nossos craques, dependendo do resultado final dos jogos. Nesta sexta, caso a Seleção ganhe fácil e fique praticamente próxima à classificação à próxima fase, todos os humores mudarão, novamente. Os textos e os comentários especializados voltarão a difundir otimismo. Caso as coisas não deem certo, todos os comentaristas especializados e os comuns, que são nove em dez torcedores, dirão que já sabiam, que fomos longe demais, que os nossos jogadores só pensam em dinheiro e fama e que perdemos tempo torcendo para um time ruim. Enfim, o passionalismo brasileiro se acentua nestes tempos de disputa mundial.

 

 

GORDURA NAS RUAS

 

Quando se caminha pelas ruas de Porto Velho, principalmente na área central, onde circulam moradores de todos os bairros, já é visível que também por aqui os números relacionados com pessoas obesas, com riscos cada vez maiores de doenças cardíacas, aumentou significativamente nos últimos anos. Segundo Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas, do Ministério da Saúde, levantados no ano passado, um em cada cinco brasileiros são obesos e, nas capitais, mais da metade da população está acima do peso. Os números são mais assustadores ainda quando se analisa apenas a situação da população mais jovem: em uma década, cresceu em 110 por cento os obesos, na faixa dos 18 aos 24 anos.  Em todas as demais faixas etárias o número de gordos cresceu também . É sempre bom lembrar que a obesidade e o sobrepeso são portas de entrada para doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, com riscos de enfarto e vários outros riscos que prejudicam a saúde da população e que poderiam ser evitadas. O remédio? Exercícios físicos e alimentação balanceada. Antes de ter que se encher de medicamentos de verdade...

 

 

OS PRESOS PODEROSOS

 

Em março de 2017, uma inspeção na cela do ex senador Luiz Estevão, na cadeia da Papuda, mostrava que ali havia uma  ela diferenciada das cadeias brasileiras. Entre outras coisas, havia chocolate importado, cafeteira elétrica, cápsulas de café e macarrão e outras coisas que raramente se vê em celas, Brasil afora. Estevão, segundo investigações da polícia, é uma espécie de manda chuva na cadeia onde é condenado por vários crimes. Um dos grandes benefícios dele é repartir uma cela com um único parceiro, por coincidência outro “amigo” da política, José Dirceu, que, aliás, tem recorrido ao seu companheiro de cela, quando precisa burlar alguma regra da prisão. Nessa semana, o poderoso Luiz Estevão foi flagrado de novo, com muitas mordomias e ainda tentando jogar cinco pen drives numa privada. O que fazem esses pen drives dentro de uma cela? Quer dizer que há computadores por lá, também e outros equipamentos eletrônicos? Ah, como é difícil manter esses ricos na cadeia, em condições iguais aos dos outros presidiários! Não seria melhor construir um castelo-cadeia, para colocar todos eles lá, cheios de mordomias? Assim não haveria tantos pobres corrompidos para fazer as vontades dos milionários presos. Sem ironia: não está na hora de acabar com essa baderna nas cadeias onde os poderosos cumprem pena?

 

PERGUNTINHA

 

Vai dizer que você não sentiu um pequeno gosto de vingança e  também que se sentiu apaixonado pelos mexicanos, depois que a Seleção deles ganhou dos alemães na primeira rodada dos jogos a Copa da Rússia?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MAIS COLUNAS

Sérgio Pires

Colaborador do Gentedeopinião: Sérgio Pires, experiente jornalista e que atua na SIC TV e diariamente apresenta o "PAPO DE REDAÇÃO" na rádio Parecis FM.

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS