close
logorovivo2

DENÚNCIA: Justiça pronuncia pai e filho pelo assassinato de duas pessoas

Uma das testemunhas oculares do processo disse que só não foi morto porque teve que se esconder na mata com o filho

RONDONIAOVIVO

13 de Novembro de 2018 às 16:56

DENÚNCIA: Justiça pronuncia pai e filho pelo assassinato de duas pessoas

FOTO: (Divulgação)

O Juízo da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Porto Velho pronunciou o ex-policial militar Joaquim Batista e Jeferson Gama Batista, vulgo “Chefinho” pelo assassinato de duas pessoas, no distrito de Nova Califórnia, região da Ponta do Abunã, em Porto Velho, na tarde do dia 8 de janeiro desse ano. É mais um crime que tem conotação de briga por terra na região, que tem feito várias vítimas nos últimos anos. Pai e filho continuam presos em Porto Velho.

 

As vítimas Cláudio Sperotto da Silva, vulgo “Índio”, e Francisco Silva de Melo, vulgo “Santo”, foram mortos a tiros após uma discussão entre os quatro por causa da retirada de uma porteira em uma propriedade. Segundo testemunhas, “Santo” chegou a levantar as mãos dizendo que não tinha nada a ver com a briga entre Índio e os assassinos, mas foi morto ali mesmo pelo fato de apenas ter presenciado o crime.

 

Joaquim e Chefe foram denunciados por homicídio qualificado, uma vez que o crime teria sido praticado por motivo fútil e ainda impossibilitou a defesa das vítimas. Uma das testemunhas oculares do processo disse que só não foi morto porque teve que se esconder na mata com o filho e que mudou de residência com medo de ser assassinado. Ele relatou ainda que está ameaçado de morte pela dupla.     

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS