close
logorovivo2

Vídeo: Babá diz que sofreu assédio de Juiz e tentou suicídio

Em vídeo, babá Nalvina Pereira confirma agressões contra Michella Marys e diz que foi demitida por não manter relacionamento com juiz

METROPOLES

14 de Maio de 2018 às 09:06

Os relatos de violência praticados pelo juiz recém-afastado da Corte Interamericana de Direitos Humanos Roberto de Figueiredo Caldas não se restringem à ex-mulher Michella Marys. Em depoimento, a ex-babá da família Nalvina Pereira, 35 anos, acusa Caldas de ter cometido assédio sexual contra ela em pelo menos duas situações diferentes. O desespero que acompanhou os abusos a motivaram a tentar tirar a própria vida.

 

Os episódios fizeram com que a cuidadora registrasse em cartório, em novembro de 2017, uma escritura pública declaratória (veja o documento abaixo), com fé pública, para atestar a veracidade dos depoimentos. O representante brasileiro no órgão internacional de defesas humanitárias tentou, segundo a babá, alisá-la na frente do filho bebê do casal, de quem Nalvina cuidava.

 

“Não gosto disso”, cortou a mulher. Com a reação negativa, o advogado teria deixado o quarto da criança. “Quando olhei para trás, ele não estava mais lá”, lembra.

 

Em outra oportunidade denunciada pela ex-empregada, Roberto Caldas encontrou a babá no banheiro dele e recorreu à desculpa de verificar a real cor dos olhos dela para tentar beijá-la à força.

 

“Ele pediu para ver se o meus olhos eram verdes ou azuis. Foi quando ele tentou me beijar. Eu corri e entrei no closet. Ele foi embora do quarto. Foi um dia muito difícil”, conta Nalvina, com voz embargada.

 

Câncer e demissão


Pouco após o abuso, Nalvina teve diagnóstico positivo para câncer de tireoide. Ela, então, ingressou com licença no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por três meses para o tratamento da doença. Quando retornou ao trabalho, foi comunicada pelo então chefe que a nova babá cuidava melhor da criança e que ela estava dispensada.

 

Segundo áudios e documentos entregues à polícia por Michella, a babá substituta mantinha um relacionamento íntimo com o jurista. A própria funcionária confirmou a situação em uma das gravações feitas pela então mulher de Roberto Caldas.

 

Ele [Roberto Caldas] chamou dona Michella no quarto e disse que me mandaria embora. Depois, ele me chamou e disse muita coisa que me deixou para baixo. Disse que eu não servia para cuidar dos meninos, que a outra babá cuidava melhor. E ele falou um monte de coisa. Chorei, chorei e passei muito mal. Só pensei em pegar o meu carro e me matar"

 

Nalvina Pereira, ex-funcionária

 

Tentativa de suicídio


Com a demissão e as agressões verbais, Nalvina ficou desnorteada. No mesmo dia em que perdeu o emprego, ela se trancou no próprio carro, com as janelas e portas fechadas, sob o sol forte. Após três horas, começou a passar mal. “Fui vomitando, vomitando, ficando sem ar. Os policiais passaram e me deram socorro”, contou. Mesmo após ser resgatada por PMs, ela pensou em se jogar da Ponte JK.

 

Ainda durante a entrevista, a babá confirmou as constantes agressões vividas pela ex-mulher de Roberto Caldas. “Ele brigava muito, falava muito palavrão, dava pancadas e eu ouvia só os barulhos, porque eles ficavam trancados no quarto”, conta. Apesar disso, ela nunca viu a então patroa revidar. “Ele só a xingava de filha da puta, de vagabunda. Eu tenho muito medo”, finalizou.

 

Veja o depoimento que Nalvina registrou em cartório

 

Reprodução

 

Defesa se manifesta


A defesa de Roberto Caldas disse reconhecer “serem graves as inúmeras ofensas verbais feitas pelo casal ao longo de uma tumultuada relação” com a ex-mulher Michella Marys. Mas, segundo o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, apesar dos áudios apresentados, não houve qualquer agressão física. Sobre o caso específico da babá Nalvina Pereira, o advogado não comentou até a atualização desta reportagem.

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS