close
logorovivo2

AEROPORTO DE PORTO VELHO: Pássaros põem em risco pouso e decolagem

A maioria determina o risco de fauna como um risco médio no aeroporto.

MAIS RO

12 de Dezembro de 2017 às 17:00

AEROPORTO DE PORTO VELHO: Pássaros põem em risco pouso e decolagem

FOTO: (Divulgação)

Um trabalho de conclusão de curso de alunos de Ciências Aeronáuticas publicado no portal Unisul, alerta para a existência de pássaros ao redor do aeroporto de Porto Velho. A monografia intitulada de “Risco de Fauna no Aeroporto Internacional de Porto Velho”, alerta que o perigo de colisões com aeronaves no pouso e na decolagem é iminente.

 

Esta pesquisa teve como objetivo geral compreender o risco de fauna presente no Aeroporto Internacional de Porto Velho e suas medidas mitigadoras. Caracteriza-se como uma pesquisa descritiva com procedimento de levantamento por meio de entrevistas e questionários e procedimento bibliográfico e documental.

 

A abordagem utilizada foi quantitativa e qualitativa. Serviram de fundamentação e análise desta pesquisa dados a partir da Infraero, Cenipa, Anac, livros, páginas da internet e artigos relacionados ao risco de fauna e suas medidas mitigadoras em aeroportos, bem como informações coletadas através de levantamento com pilotos e controladores de voo que atuam no local. A análise dos dados foi feita por meio de gráficos, figuras e tabelas, relacionando os tipos de ocorrências, o tipo de animal mais comum, sua gravidade e a frequência que eles são observados neste aeroporto.

 

Ao finalizar a pesquisa, conclui-se que o descarte de lixo nas vizinhanças do aeroporto, encontrados durante vistorias da Infraero, principalmente na Avenida Lauro Sodré, e a presença de abatedouros irregulares dentro da Área de Segurança Aeroportuária, confirmados pela administração do aeroporto, servem de atrativo para aves, que acabam se aglomerando no local e interferem nos procedimentos de pouso e decolagem, elevando o risco de operações aéreas no aeroporto. De acordo com os dados analisados a partir dos pilotos entrevistados, a maioria determina o risco de fauna como um risco médio no aeroporto.

 

Já, em relação aos controladores de voo, a maioria determina o risco de fauna como um risco alto. Verifica-se a necessidade de elaboração de um Programa de Gerenciamento de Risco de Fauna, uma ferramenta aliada na prevenção de ocorrências relacionadas à fauna no aeroporto, já que as medidas utilizadas para mitigar este risco no aeroporto se limitam apenas à afugentação e captura.

 

Trabalho realizado por acadêmicos da Unisul- Universidade Sul de Santa Catarina

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS