close
logorovivo2

TCE deflagra mais de 160 auditorias para apurar contas em municípios de RO

Dentro dos trabalhos de análise das contas dos chefes do Poder Executivo dos 52 municípios de Rondônia, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RO)

DA REDAÇÃO

20 de Julho de 2017 às 14:07

TCE deflagra mais de 160 auditorias para apurar contas em municípios de RO

FOTO: (Divulgação)

Dentro dos trabalhos de análise das contas dos chefes do Poder Executivo dos 52 municípios de Rondônia, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RO), por meio da Secretaria Geral de Controle Externo (SGCE), instituiu equipes de auditorias, que, em uma verdadeira força-tarefa, têm se desdobrado para cumprir o plano de fiscalização, composto por 169 auditorias envolvendo temas administrativos e estratégicos.

 

Foram ou estão sendo verificados desde procedimentos que tradicionalmente o TCE/SGCE fiscalizava, a exemplo da regularidade do Balanço Geral do Município e das auditorias de Conformidade e de Planejamento, Orçamento e Fiscal, até inspeções inéditas, como as Financeiras, além da Educação e Saúde realizadas nos cinco maiores municípios do Estado: Porto Velho, Ji-Paraná, Ariquemes, Vilhena e Cacoal.

 

Outra iniciativa pioneira no âmbito do TCE-RO são as auditorias nos institutos de previdência (das 30 instituições dessa natureza no Estado, 29 já foram auditadas) e as de verificação do Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEGM), mecanismo que é fruto da adesão do TCE-RO à Rede Nacional de Indicadores (Indicon) e que visa permitir a sistematização de informações das municipalidades nas áreas de saúde, educação, planejamento, gestão fiscal, meio ambiente, cidades protegidas, governança em tecnologia da informação, controle interno e receita. Foram realizadas auditorias em 24 municípios visando validar as informações enviadas eletronicamente ao TCE-RO.

 

Do total de 169 auditorias previstas, faltam 56 para serem realizadas, sendo que 24 já serão deflagradas nesta semana (17 a 21 de julho) e as demais 32 na semana de 31 de julho a 4 de agosto, dentro, portanto, do prazo final para a realização da instrução preliminar, que é 15 de agosto.

 

Essa etapa é fundamental para a consolidação dos achados de auditoria, os quais são consolidados, após o processo do contraditório e ampla defesa, em proposta de relatório e parecer prévio do Tribunal de Contas. Essas peças, então, são submetidas ao Tribunal Pleno do TCE-RO, que, por sua vez, aprecia as contas dos gestores municipais e expede seu parecer prévio, cujo objetivo é subsidiar o julgamento político-administrativo que é feito, posteriormente, pelas Câmaras Municipais de Vereadores.

 

PLANO

 

Após a entrega das prestações de contas de 2016 pelos municípios, em 31 de março passado, o TCE-RO/SGCE estabeleceu um plano para realização de auditorias “in loco” nos municípios, adotando, para tanto, como modelo a coordenação centralizada, além da integração de equipes multidisciplinares de auditores (com formação em Administração, Ciências Contábeis, Direito e Economia, entre outras áreas), e a ampliação do uso de indicadores de desempenho, como o IEGM, para avaliar a gestão pública municipal.

 

Nessa nova dinâmica, a agilidade e a racionalidade do tempo dão o tom da atuação das equipes, que, na maioria das vezes, têm apenas uma semana para inspecionar as contas de, no mínimo, dois municípios, assim divididos pela coordenação levando-se em consideração a localização geográfica e o porte.

 

Nesse trabalho, algumas evidências já foram levantadas pela coordenação das equipes, entre as quais, a falta de controle no âmbito administrativo por parte dos órgãos jurisdicionados; a importância da circularização das informações fornecidas por instituições bancárias e financeiras, visando o confrontamento com dados encaminhados pelos municípios.

 

SIGAP

 

Também destaca-se o subsídio dado por dispositivos eletrônicos implementados pelo TCE, a exemplo dos Sistemas Integrado de Gestão e Auditoria Pública (Sigap), cujo foco é a fiscalização das contas públicas da administração estadual e dos 52 municípios rondonienses, em sintonia com as expectativas da sociedade que quer uma fiscalização mais rápida e eficaz.

 

O Sigap, que foi implantado há mais de 10 anos pelo TCE-RO, é utilizado para análise dos atos de gestão dos órgãos estaduais e municipais, enviados pela internet.

 

O sistema, que dispõe de várias funcionalidades, abriu caminho para novas possibilidades de aplicação da tecnologia da informação, envolvendo diversos módulos como o Recepção de Dados, voltado ao encaminhamento das prestações de contas dos chefes dos Poderes Executivos Municipais, e o Contas Anuais, que emite relatórios sobre as contas das unidades gestoras.

 

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS