close

ESPAÇO ABERTO: Energisa tieta ministro e ele não comenta altas tarifas

Confira a coluna

RONDONIAOVIVO - CÍCERO MOURA

7 de Outubro de 2019 às 09:50

ESPAÇO ABERTO: Energisa tieta ministro e ele não comenta altas tarifas

FOTO: (Divulgação)

CPI


Nesta segunda-feira,7, tem sessão extraordinária da Comissão Parlamentar de Inquérito da Energisa, a partir das 17 horas. Foram convidados a participar o Secretário de Segurança do Estado, José Hélio Pachá, e o Delegado Geral da Policia Civil de Rondônia, Samir Fouad Aboud.

 

 

SARCASMO


Falando em Energisa, soou como deboche a visita do ministro Bento Albuquerque na empresa na sexta-feira,04, antes de participar da audiência pública sobre exploração de minérios em terras indígenas. Na subestação da Energisa Rondônia Bento Albuquerque conheceu laboratório de controle de qualidade dos medidores de energia e programa social oferecido pela Energisa que qualifica jovens do Exército para a atividade de eletricista.

 

 

QUASE MAIS RÁPIDO QUE A LUZ 


O curioso da visita de Bento Albuquerque na Energisa é que a assessoria de imprensa da empresa, que não costuma atender a imprensa com muita pressa, tratou de “viralizar”, quase que em tempo real, nos sites e em redes sociais a cordialidade Ministro.


QUEM MANDA


A atitude da Energisa também foi vista como um recado para muita gente, incluindo os deputados que compõem a CPI, sobre quem realmente tem o poder nessa briga referentes aos mandos e desmandos na distribuição de energia em Rondônia.

 

SINODO


Mesmo com as críticas do governo brasileiro, o Sínodo da Amazônia convocado pelo Papa Francisco deve fazer duras críticas aos governos que relativizam a questão ambiental. 


Segundos bispos brasileiros, o sínodo deve intensificar discursos com ênfase na preservação da floresta. A questão preocupa o governo Bolsonaro, que já sofre pressão internacional por conta das queimadas.

 

QUESTIONAMENTOS


O  ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, já manifestou preocupação com pontos do Sínodo que “tratam de aspectos que afetam a soberania nacional.”


Assessores mais próximos do presidente Jair Bolsonaro chegaram a temer que o Sínodo puxasse um movimento pela internacionalização da Amazônia. Mas lideranças da igreja já deixaram claro que isso não está em questão.

 

ANTERIOR A BOLSONARO

 

Integrantes da CNBB disseram que o Sínodo foi convocado há dois anos. Ou seja, bem antes do governo Bolsonaro. E que a questão ambiental é uma preocupação antiga de Francisco, tanto que ele foi o primeiro Papa a escrever uma encíclica sobre o tema.


O cardeal-arcebispo emérito de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno, chegou a lembrar que no texto de Aparecida, relatado pelo então cardeal Jorge Mario Bergoglio em 2007, já tratava com ênfase da questão ambiental e da região amazônica.

 

PAPA

 

O  Papa Francisco já disse que os incêndios florestais na Amazônia são um "problema mundial". "Por exemplo, a Amazônia que queima não é apenas um problema daquela região, é um problema mundial", disse o Papa.


A declaração foi feita às vésperas do Sínodo dos Bispos que começou ontem e vai até 27 de outubro, no Vaticano, e discutirá novas formas de evangelização na floresta tropical.


GREVE NA SAÚDE


Uma grande mobilização está sendo preparada para esta semana. Servidores da saúde do estado não gostaram de mudanças nos plantões que teriam sido feitas de forma autoritária pelo secretário Fernando Máximo. O assunto promete render muita discussão nos próximos dias.

 

PROTESTOS


Diversas  etnias indígenas protestaram na audiência pública para discutir sobre organização, exploração, fiscalização, comercialização e exportação de minérios em terras indígenas. O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, esteve presente. 
Segundo os indígenas presentes no local, o ato foi realizado porque nenhuma etnia teria sido convidada a participar da audiência. Os índios dizem que não querem mineração em terras indígenas.

 

MPF


O Ministério Público Federal em Rondônia (MPF-RO) informou por meio de nota que não participou da audiência pois, apesar do tema ser de grande relevância para várias etnias do estado, os indígenas não foram convidados.


A procuradora da República, Gisele Bleggi, disse que todos os indígenas precisam ser provocados a se manifestar, e ainda recomendou ao deputado federal Coronel Chrisóstomo, presidente da sessão, que os próximos eventos dessa natureza sejam amplamente divulgados, não se restringindo à capital do estado.

 

...E TEM MAIS


A procuradora também ressaltou que apesar da importância das audiências públicas elas não substituem a consulta livre, prévia e informada exigida pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), nem a oitiva constitucional no Congresso Nacional, prevista na Constituição Federal, antes da votação de qualquer projeto de lei que venha a regular a prática de mineração em terras indígenas.

 

PESQUISA


Laerte Gomes larga na frente em pesquisa para prefeito de Ji-Paraná, segunda maior cidade do estado, realizada pelo  Instituto Haverroth (IHPEC). Foram apresentados 05 nomes e Laerte Gomes teve 28,6% das indicações. Em segundo lugar houve  um empate técnico entre três nomes: Johny Paixão, com 14,2%, João Durval 14% e Ezaú Fonseca com 13,6%. Marcito Pinto, atual prefeito de Ji-Paraná, teve 11,5%, e o restante, 18,1%, não souberam responder. As entrevistas foram feitas nos dias 01 e 02 de outubro e finalizada quinta-feira (03).  Foram  ouvidas 450 pessoas, com idades entre 16 e 70 anos, em vários pontos da cidade. A margem de erro é de 2,0 pontos percentuais. 


SEM CUSTOS


Segundo Dejanir Haverroth, diretor do IHPEC, a maior parte das pesquisas realizadas nesse período não tem fins de divulgação por isso a sondagem feita realizada por conta do Instituto. “É a época em que os partidos e as lideranças começam a se organizar para as eleições. Portanto, muitas pesquisas são realizadas em todos os municípios pelos grupos políticos que pretendem disputar, mas são mantidas em sigilo, pois contém dados qualitativos fundamentais para o sucesso das campanhas”, disse Haverroth.

 

SAIR DA LISTA NEGRA

 

Nesta semana , a Caixa Econômica Federal vai chamar 120 mil clientes das cinco regiões do país para regularizar suas dívidas com o banco que já estão na Justiça. Ao todo, o valor dos débitos soma R$ 6,6 bilhões, mas o banco estatal vai dar desconto de até 90% caso o cliente pague à vista.


ARRECADAÇÃO


Com a iniciativa a Caixa pretende recuperar R$ 1,2 bilhão. O mutirão de conciliação da Caixa vai ocorrer de 7 a 11 de outubro. Do total dos devedores, 71 mil são pessoas físicas, que juntos devem R$ 2,3 bilhões.


REAJUSTE SALARIAL PARA MILITARES


Relatório  da reforma da Previdência dos militares, que deve ser lido amanhã,08, na comissão especial da Câmara, prevê que oficiais de alta patente podem alcançar um aumento de até 73% do salário base da categoria, enquanto que para soldado está previsto reajuste de 12%.


A reestruturação nas carreiras militares traz reajustes previstos até 2023 e adicionais por fatores como tempo de permanência nas Forças e realização de especializações. Pelo texto, os “adicionais” aos ganhos podem chegar a mais de 70% do salário.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS