close
logorovivo2

ANÚNCIO: Simaria ficará mais 3 meses longe dos palcos por complicações de saúde

Cantora faz tratamento para tuberculose ganglionar e uma inflamação no estômago

FOLHAPRESS

25 de Setembro de 2018 às 11:12

ANÚNCIO: Simaria ficará mais 3 meses longe dos palcos por complicações de saúde

FOTO: (Divulgação)

Simaria Mendes, 36, da dupla com Simone, usou suas redes sociais para esclarecer os motivos de seu novo afastamento. Segundo a cantora, além do tratamento da tuberculose ganglionar, doença contra a qual luta desde abril deste ano, ela também trata de uma inflamação no estômago.

 

 

Simaria, que estava afastada dos palcos desde o primeiro diagnóstico, retornou em agosto com uma agenda de shows reorganizada para não atrapalhar o tratamento. Ainda assim, a cantora passou mal durante uma apresentação no dia 13 de setembro e precisou ser internada.

 

 

"Infelizmente, na semana passada, tive mais uma mal estar e, após realizar vários exames, ficou definido que devo me afastar novamente dos palcos [...] vocês sabem como sou batalhadora e "dura na queda", mas a rotina na estrada não é fácil, ainda mais para conciliar com o tratamento da tuberculose ganglionar", escreveu a cantora em seu Instagram.

 

"Além disso, ainda estou com uma inflamação no estômago causada por uma outra bactéria que eu provavelmente adquiri de comida. De um lado, remédio para tuberculose, de outro a gastrite", continuou Simaria.

 

Ela afirmou que sua equipe de médicos decidiu em comum acordo que a melhor opção seria se afastar novamente dos palcos e se dedicar à alguns poucos compromissos. Em seu Instagram Stories (ferramenta de compartilhamento de imagens que desaparecem depois de 24 horas), Simaria disse que deve ficar ausente por mais três meses.

 

Com a nova pausa de Simaria, as irmãs optaram por suspender a agenda de shows. De acordo com a assessoria, Simone ainda estuda a possibilidade de manter a agenda de shows, como fez na primeira parada da irmã.

 

O tratamento da tuberculose ganglionar, a qual Simaria está submetida, é normalmente feito com antibióticos. Em alguns casos mais avançados, é preciso fazer uma cirurgia para a retirada do gânglio.

 

A doença é caracterizada pela bactéria "bacilo de Koch", que é mais frequente entre mulheres e normalmente se instala por vias respiratórias. Seus sintomas não são bem definidos, podendo ir de febre baixa e emagrecimento a suor noturno, cansaço excessivo, diminuição do apetite e íngua inchadas no pescoço, nuca, axilas ou virilha.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS