close
logorovivo2

NOVIDADE: iPhone Xs e Xs Max começam a ser vendidos; preço chega a R$ 8.950

Aparelhos começam a ser vendidos em 30 países; Brasil não está na lista

FOLHAPRESS

21 de Setembro de 2018 às 09:35

NOVIDADE: iPhone Xs e Xs Max começam a ser vendidos; preço chega a R$ 8.950

FOTO: (Divulgação)

O iPhone Xs e do iPhone Xs Max chegam às lojas dos EUA e dos países europeus nesta sexta-feira (21). Os aparelhos foram disponibilizados para pré-venda desde o dia 14 de setembro.

 

 

Ao todo, os novos modelos começam a ser vendidos em 30 países: Alemanha, Arábia Saudita, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, China, Dinamarca, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Guernsey, Holanda, Hong Kong, Ilha de Man, Ilhas Virgens Americanas, Irlanda, Itália, Japão, Jersey, Luxemburgo, México, Nova Zelândia, Noruega, Porto Rico, Portugal, Reino Unido, Singapura, Suécia, Suíça e Taiwan.

 

O Brasil não está na lista. A Apple não tem data certa para o início das vendas nas lojas brasileiras, mas disse que deve ocorrer até o final do ano.

Com a recente alta do dólar e do euro, a versão mais completa do aparelho (iPhone Xs Max, com 512 gb de memória) pode chegar a custar quase R$ 10 mil. 

 

APARELHO DOS EUA

 

Quem comprar o seu novo iPhone nos Estados Unidos pode ter problemas com a rede 4G brasileira. 

 

Desde o final de 2017, as empresas de telefonia passaram a distribuir a rede 4G por meio da frequência de 700 mega-hertz (conhecida como banda 28). Essa frequência, porém, não está disponível para a rede móvel nos EUA. 

 

Além da banda 28, no Brasil também há outras frequências usadas para internet móvel, porém, são mais lentas, como a de 2.600 megahertz, 1800 MHz, e 2.100MHz, que podem ser acessadas dos novos iPhones. Quem trouxer o iPhone dos Estados Unidos para usar no Brasil vai conseguir navegar na internet daqui, porém, não na frequência mais rápida.

 

Wilson Cardoso, diretor de tecnologia da Nokia na América Latina, aponta para outro detalhe. Os novos modelos têm uma funcionalidade chamada agregação de bandas. "A maioria dos telefones manda e recebe dados por uma única banda, na agregação de bandas, várias frequências funcionam ao mesmo tempo para fazer upload e download de informações", afirma.  

 

Por não ter acesso à banda 28, essa funcionalidade ficaria subutilizada nesses aparelhos vindos dos EUA. "É como ter cinco pistas de alta velocidade para trafegar com o carro, mas ser obrigado a andar por outra, que é mais lenta", explica Cardoso. 

 

De acordo com a Apple, o modelo vendido no Brasil será igual ao que está disponível nos países europeus. Quem quiser importar o aparelho da Europa, terá 100% das suas funcionalidades disponíveis e compatíveis com a rede de internet brasileira.

 

O Brasil optou por usar a banda 28 por ser aquela que já era utilizada pela TV, com a migração da TV analógica para a digital, essa frequência pode ser usada para a internet móvel. Isso aumentou a cobertura, sem que fosse preciso construir novas torres de transmissão nas cidades.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS