close
logorovivo2

TEMPESTADE: Passagem do tufão Yutu deixa ao menos quatro mortos nas Filipinas

O tufão atingiu nessa terça-feira (30) as Filipinas e provocou danos materiais, como a queda de árvores e casas

LUSA

31 de Outubro de 2018 às 10:25

TEMPESTADE: Passagem do tufão Yutu deixa ao menos quatro mortos nas Filipinas

FOTO: (Divulgação)

Pelo menos quatro pessoas morreram na sequência da passagem do tufão Yutu pelas Filipinas, onde as equipes de resgate continuam as operações para encontrar sobreviventes entre a lama e os destroços, informaram nesta quarta-feira (31) as autoridades.

 

O prefeito de Natonin, na ilha de Luzón, confirmou à imprensa local que cerca de 30 pessoas estão presas em um edifício oficial do Governo, soterrado após um deslizamento de terra, e que os bombeiros continuam as operações de resgate.

 

O prédio é a sede do Departamento Provincial de Obras Públicas, onde dezenas de pessoas afetadas se refugiaram das chuvas intensas e dos ventos fortes do Yutu.

 

O tufão Yutu atingiu nessa terça-feira (30) as Filipinas e provocou danos materiais, como a queda de árvores e casas que perderam os telhados, além de forçar a retirada de milhares de pessoas.

 

A tempestade, que passou a sul da trajetória do tufão Mangkhut e fez dezenas de mortos no mês passado, provocou trombas de água em Luzón, a ilha mais populosa do arquipélago.

 

 

Yutu tocou a terra na madrugada de ontem, com ventos que sopravam a 150 quilômetros por hora, com rajadas de até 210 km por hora.

 

Quase dez mil pessoas que vivem em áreas baixas deixaram as suas casas antes da chegada do tufão devido ao risco de inundações.

 

Os ventos destruíram casas, telhados ficaram desfeitos e postes de iluminação e árvores foram arrancados.

 

Os responsáveis pela gestão de catástrofes disseram que o Yutu é menos poderoso do que o Mangkhut, que provocou a morte de mais de 100 pessoas, a maioria em um deslizamento de terra na região de Itogon.

 

As Filipinas são atingidas todos os anos por cerca de 20 tufões, que causam centenas de mortes e agravam ainda mais a pobreza que atinge milhões de pessoas.

 

O Haiyan, um dos tufões mais violentos de sempre, devastou o centro do arquipélago em novembro de 2013, deixando mais de 7.350 mortos ou desaparecidos, tendo ainda deixado sem habitação mais de quatro milhões de pessoas. 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS