close
logorovivo2

GRADE: Polícia prende ex-diplomata por agressão contra mulheres

Itamaraty exonerou Renato de Ávila Viana um dia após sua primeira prisão, em 19 de setembro: rotina de faltas e agressões a mulheres

METRÓPOLES

17 de Outubro de 2018 às 14:46

GRADE: Polícia prende ex-diplomata por agressão contra mulheres

FOTO: (metrópoles)

A Polícia Civil prendeu o ex-diplomata Renato de Ávila Viana, acusado de agredir sua então namorada em 2016. O mandado de prisão foi emitido pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) e é assinado pelo Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher do Núcleo Bandeirante. A prisão foi decretada no processo referente ao caso da ex-namorada de Viana, Bianca (nome fictício a pedido da vítima), que teve um dente arrancado após levar cabeçadas do ex-diplomata. Em setembro, ele foi exonerado no Ministério das Relações Exteriores (MRE) após um processo administrativo apurar o comportamento agressivo e improbidade administrativa comprovada por dezenas de faltas ao trabalho.

 

Ele teve prisão preventiva decretada no último dia 10, a pedido do advogado de Bianca. Renato chegou a ser detido, em setembro, acusado de abusos contra uma segunda vítima, que mora com ele e, segundo a mãe da moça, tem problemas psicológicos. A polícia arrombou a porta do apartamento funcional no qual o casal vivia e levou Viana para a delegacia, de onde ele foi liberado sob fiança. Na decisão proferida agora pelo juiz, que levou Renato de volta à cadeia, o magistrado acatou o argumento segundo o qual o ex-diplomata tem histórico de violência contra as mulheres e oferece riscos à integridade da atual companheira. Bianca hoje está longe das ameaças do ex-namorado: vive fora de Brasília.

 

A prisão de Renato atende pedido da Delegacia da Mulher, que investigava o espancamento de Bianca: a brasiliense, de pouco mais de 20 anos, foi agredida com chutes e cabeçadas por Renato, em um motel da cidade, quando o casal discutia a possibilidade de reatar o relacionamento, marcado por agressões e brigas. Além de denunciar a violência à polícia, Bianca tenta na Justiça desde janeiro de 2017 que ele seja obrigado a arcar com as despesas do implante dentário.

 

O mandado de prisão contra o ex-diplomata foi emitido no último dia 10, no entanto, devido ao período eleitoral – quando ninguém pode ser preso, exceto em flagrante – e como ele havia mudado de domicílio, não foi cumprido de imediato. Nesta noite (16/10), o Metrópoles confirmou que Renato já está detido na Divisão de Controle e Custódia de Presos (DCCP), do Departamento de Polícia Especializada (DPE), da Polícia Civil, ao lado do Parque da Cidade.

 

 

Demissão, agressões e faltas

 


O ex-diplomata foi exonerado pelo Ministério das Relações Exteriores um dia após a sua primeira prisão, ocorrida no dia 19 de setembro, acusado de abusos contra a atual companheira. Após a demissão, o homem precisou deixar o imóvel do governo no qual morava, na SQN 304, o que dificultou sua localização pela Polícia Civil para o cumprimento da ordem de prisão.

 

Depois das denúncias feitas por Bianca, o Itamaraty abriu um processo administrativo disciplinar (PAD) contra Viana. Além do histórico de agressões, também contou para a demissão a quantidade de faltas ao expediente no Ministério das Relações Exteriores, configurando improbidade administrativa.

 

 

De acordo com registros de ausências injustificadas constantes em investigação interna do órgão, ele deixou de comparecer ao Itamaraty, por exemplo, 18 dias durante o mês de março, quando deveria cumprir suas atividades de trabalho. Viana também faltou por 16 dias em abril e outros 15 em maio. O pedido de afastamento do ex-diplomata (imagem acima) foi feito pela comissão do ministério, que investigou a conduta do funcionário público acusado de espancar mulheres.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS