close
logorovivo2

MISTÉRIO: Avião russo com 14 militares a bordo desaparece no Mediterrâneo

Perda de contato com a aeronave aconteceu por volta das 23h (hora local) de segunda-feira, quando estava a 35 quilômetros da costa síria

AGÊNCIA EFE

18 de Setembro de 2018 às 08:52

MISTÉRIO: Avião russo com 14 militares a bordo desaparece no Mediterrâneo

FOTO: (Divulgação)

 

Um avião russo Il-20, com 14 militares a bordo, desapareceu no Mediterrâneo (na costa síria), durante um ataque aéreo de Israel contra a Síria, coincidindo com o lançamento de mísseis da fragata francesa "Auvergne". A informação é do Ministério de Defesa da Rússia.

 

A perda de contato com a aeronave ocorreu por volta das 23h (hora local) de ontem (17), quando estava a 35 quilômetros da costa síria, e o destino de seus ocupantes é desconhecido.

 

O Il-20 "desapareceu dos radares do comando da aviação durante um ataque de quatro aviões israelenses F-16 contra instalações sírias na província de Lataquia", disse o ministério.

 

Segundo os militares, ao mesmo tempo, meios russos de controle do espaço aéreo detectaram o lançamento de foguetes da fragata francesa "Auvergne", que se encontra nessa região" do Mediterrâneo.

 

O avião, um turbopropulsor de exploração, retornava para a Base Aérea de Khmeimim, na província de Lataquia, onde a Rússia tem um agrupamento aéreo.

 

Uma fonte anônima do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, citada pela agência "Interfax", sugeriu a possibilidade de a aeronave russa ter sido abatida equivocadamente pela defesa antiaérea síria.

 

O incidente ocorreu horas após os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e Turquia, Recep Tayyip Erdogan, chegarem a um acordo para suspender a ofensiva anunciada do Exército sírio contra a província de Idleb.

 

Os líderes anunciaram a criação de uma zona desmilitarizada, de cerca de 20 quilômetros, que dividirá as posições das tropas governamentais sírias e a oposição armada apoiada pela Turquia.

 

A província de Idlib, ma fronteira com Turquia, recebe cerca de 3 milhões de pessoas, incluindo grande número de opositores deslocados de antigos feudos insurgentes que já foram conquistados pelas forças do governo sírio.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS